Esquenta para o BEDA: #2 - Animal preferido



Fiquei pensando em como escolher meu animal preferido pra fazer esse post e hoje cheguei a conclusão, que o meu animal preferido é o meu animalzinho, o que esta comigo no momento.
Em casa, sempre tivemos animais, era cachorro, coelho, gato, tartarugas, peixe.
Como escolher um preferido sendo que o amor desses bichinhos é tão incondicional e cada um a seu modo?

Então hoje eu escolho como meus animais preferidos meus gatinho, que moram comigo aqui na minha casa, mas também tenho um carinho especial pela Cindy, uma cadelinha, que já esta bem velhinha e que foi adotada por minha mãe. Ela chegou em casa e estava bem debilitada, havia sido abandonada pelos antigos, malditos donos. Ela não latia e morria de medo de vassouras, hoje ela é velhinha mesmo, não creio que dure mais muito tempo, mas é uma cadelinha muito amável e carinhosa.
Não tenho foto da Cindy, pois ela tem medo de máquina fotográfica e de celular.

Cléo, a valente
A outra que mora com a minha mãe é a Cléo, uma maltês, que era da minha sobrinha, o que ela não tem de tamanho tem de valentia. Minha irmã arrumou uma outra cachorra, que também é dócil, mas é grande e a danada na Cléo implicou com a cachorra e ficava mordendo as patas dela, um dia ela se enfezou e deu uma mordida na Cléo e machucou bastante. Mesmo depois de medicada e com pontos a Cléo não baixou bola, então a solução foi deixar ela na casa da minha mãe. Apesar do gênio forte rs ela também é uma fofura :)


Aqui em casa, nós adotamos o Lolo e depois o Bóris.



O primeiro que adotamos foi o Lolo, ele vivia em uma praça, e estava sempre grudado nas crianças, uma colega do serviço, que adora gatos alimentava ele na praça mesmo, pois não tinha como levá-lo pra casa, pois ela já tem 9 gatos. Ela ficou sabendo que eu estava pensando em adotar um gatinho e veio me falar dele. Conversei com meu marido e pegamos o bichano. Ele já chegou aqui em casa e se sentiu literalmente em casa. Não fez cerimonia e já veio para o colo da gente. Chamamos ele de chicletinho, pois basta alguém sentar que ele já vem pro colo. 


É comilão e dorminhoco, depois que come a ração adora ir para a janela e fica lá por horas vendo a vida passar e tirando cochilos, odeia dias de chuva quando tem que ficar preso em casa. É um gato amoroso e faz amizade com qualquer pessoa eu chega aqui em casa. Adora dar uma voltinha no hall do apartamento e se bobear entra na casa do vizinho.
Gosta de beber água do tanque e com pedrinhas de gelo na bacia de água.


Nosso segundo gatinho adotado é o Bóris, e quem trouxe ele foi a mesma colega.
Quando resolvemos adotar um gato, foi justamente porque eles são mais independes do que cachorro, só que não contávamos com um gato chiclete como o Lolo, então quando passávamos o fim de semana na casa da minha mãe, ele ficava deprimido, então resolvemos adotar um companheiro pra ele. E assim, apareceu o Bóris. Ele tem uma história triste, mas uma vida feliz aqui em casa agora. O porteiro do prédio da minha colega, viu um homem, monstro, jogando alguma coisa no duto do esgoto e achou que era um rato. Foi lá ver e viu que era uma minúsculo gatinho. Ele pegou o gatinho e como também não tinha como ficar, foi pedir socorro pra minha colega. Ela lembrou que eu queria um colega para o Lolo e me avisou.
Gente!!! Ele era um cisco, pequeno, magrinho, quando chegou aqui o tamanho dele todo, era menor do que a cabela dele hoje.
Mas era todo espoleta, serelepe e ninguém ligava para os miados nervosos do Lolo, que é fofo e meigo mas não deve ter gostado muito da invasão.
Mas a adaptação foi tranquila, em menos de 1 semana já era pré amigos, hoje são inseparáveis.


Diferente do Lolo, o Bóris não curte muito colo e nem que encoste muito nele, ele gosta de ficar perto da gente mas como uma certa distância. Ele gosta de se esfregar nas pernas e deitar e passar a cabecinha no nossos pés. Gosta de tirar sua soneca, mas não curte muito uma janela, ele gosta mesmo é de ficar em lugar que ele possa fazer uma cabana, assim, ele vive atras do encosto do sofá onde tem a aba da capa do sofá, ou ele levanta a parte da capa do assento e se mete lá embaixo.
Quando ele chegou aqui, deixei ele na sala e coloquei um cobertozinho no sofá, quando fui procurar não achei, fiquei desesperada. Fui mexer no cobertor e ele estava todos enroladinho, só dava pra ver as pontas das unhas..rs ❤
O Bóris, é mais medroso e não fica amigo logo de cara de quem aparece aqui em casa não, e ele é meio violento com certas coisas rs. Não podemos mais por gelo na água, porque ele luta com aquele gelo até tirar todos da vasilha (e deixa meu chão em petição de miséria) ou até o gelo derreter e ele cansar, outra coisa que ele dá patadas incansavelmente é no aspirador de pó hahahaha.

Agora me fala!!!! Como tem gente que deixa esses bichinhos pela rua, vivendo a própria sorte? Ou que tem coragem de matar? 

Ahhh!! Não viu a primeira postagem do esquenta? Vem aqui ver.



Share:

1 comentários

  1. Ci que delícia! Adorei o post e parabéns pelos adoções, lindos seus filhotes <3 Vc viu que o meu tbm é cachorro né (pq acho que tenho duas e meus pais 14 XD então é mt amor ali) mas achei lindo o modo como vc colocou e ta certinha, nós amamos nossos bichinhos <3 as vezes eles dão trabalhinho às vezes mas são a prova de amor incondicional! beijos beijos!

    ResponderExcluir

Vamos colecionar momentos